sábado, fevereiro 19, 2011

Existe, realmente, influência da Lua em nossa vida?

.Os antigos e o calendário lunar

                                           Na antiguidade, os gregos já estudavam a Lua
Há milênios os gregos olharam para o nosso satélite, mais precisamente a sombra circular que se projetava sobre a Lua cheia (eclipse) e fizeram a primeira dedução: a Terra era redonda.
Desde a Pré-história os homens levantavam templos de pedras, como o de “Stonehenge” na Inglaterra, para observar os fenômenos da Lua.
No século XVII, o italiano Galileu Galilei fez grandes descobertas com uma simples luneta.

                                            A Luneta de Galileu a as grandes descobertas!
Foi observando a cadência da Lua que o homem começou a entender o tempo... Quando tudo começou, o dia e a noite já estavam criados. Mas ainda faltava a semana e o mês.
E foi a Lua que deu as indicações, com suas quatro fases que se repetiam ciclicamente. Já que cada fase lunar durava, aproximadamente, 7 dias surgiu a semana (“septimana”, do latim), reconhecida oficialmente somente no ano de 325 depois de Cristo.

O primeiro dia foi dedicado ao Sol e o segundo à Lua. Depois o homem percebeu que para a Lua completar um ciclo inteiro, ou uma lunação, devia-se esperar 29 dias. Assim apareceu o mês. Mas era preciso um espaço de tempo maior para medir viagens, construções e a vida do homem.
O próximo passo foi a fixação do ano com seus 12 meses. O nosso calendário com 365 dias, leva em conta o tempo que a Terra precisa para cumprir uma revolução completa em torno do Sol.
O calendário lunar surgiu assim, entre os povos de vida essencialmente nômade ou pastoril, e os babilônicos foram os primeiros, na antiguidade, a utilizá-lo. Os hebreus, gregos e romanos também dele se serviram. O calendário muçulmano é o único puramente lunar ainda em uso, que começam sempre na Lua Nova, sem se importar com o fato de o ano, para eles, ter 354 dias.

As FASES da LUA e a influência na Vida

                                                                    As Fases da Lua

A Lua, em seu percurso ao redor da Terra, reflete a luz do Sol e apresenta-se em sombra e luz nas suas quatro fases. Por ser o astro mais próximo da terra, parece exercer maior influência sobre ela. A própria vida sobre terra, provavelmente seria impossível se a lua não existisse.
Depois da observação e do calendário, os homens passaram a examinar a influência das fases da Lua na geração humana, animal e vegetal. Atribuíam a Lua influências decisivas na produção de certos fenômenos que ocorrem em nosso planeta, notadamente o ritmo das marés, o movimento da seiva nos vegetais, o movimento e o comportamento dos animais em especial das aves; o ciclo das migrações; principalmente na época do acasalamento etc Assim é que, desde a mais remota antigüidade, o homem baseia-se nas fases da lua para plantar, colher, pescar, amar e trabalhar.
                               No Egito Antigo, a observação da Lua sobre animais e plantas
Viu-se que a Lua influencia a agricultura e as colheitas, as marés, como também a nossa psiquê-os nossos próprios sentimentos e emoções. Da mesma forma, manifestações femininas como a menstruação, a fertilidade, a menopausa e a gestação também estão relacionadas à Lua.
Os agricultores e jardineiros desde sempre, sabem a importantíssima influência da Lua na vida do jardim, nas hortas e na agricultura, no geral. Esta influência se dá pela diferença de luminosidade e atração gravitacional que a Lua exerce em suas diferentes fases. Daí viu-se que para plantar, transplantar, colher, cortar, podar...é necessário respeitar-se essas fases. É tradicional o cuidado que os exploradores de madeira têm de não fazer o corte no período da Lua Minguante para evitar o apodrecimento.
Pode-se dizer que, ainda que indiretamente, a Lua tem, sim, influência sobre a pesca. Porque ela mexe com as marés. “As marés mais intensas ocorrem durante a lua cheia ou a lua nova, quando a Terra, a Lua e o Sol estão alinhados”, explica o astrônomo Enos Picazzio, da USP.
E, imagine: as marés podem decidir até guerras. A Segunda Guerra Mundial terminou como terminou por influência da Lua. O General Dwight Eisenhower só marcou a data de desembarque das forças aliadas na Normandia, na França, depois de consultar a Lua. Não se tratava de superstição, mas de simples questão de tática militar.
A madrugada de 6 de junho de 1944 foi escolhida com base no estudo das marés no Canal da Mancha. Esta era uma das únicas noites claras, de maré baixa condições fundamentais para a chegada das tropas americanas e francesas à praia dominada pelos alemães. Assim, era possível aos aliados enxergar perfeitamente as armadilhas e a posição dos inimigos.
"Na verdade, a data inicialmente escolhida era o dia 5, mas o desembarque acabou sendo adiado por causa de uma violenta tempestade", comenta o astrônomo Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, astrônomo do Museu de Astronomia, no Rio de Janeiro. Desse ponto de vista, "não há, portanto, nenhuma inverdade em afirmar que a Lua define os destinos da humanidade. Mas é uma influência indireta, por meio das marés estas, sim, o único efeito lunar cientificamente comprovado sobre o planeta", completa Mourão.
                                          Marés-único efeito lunar comprovado pela ciência.
“Não são só os oceanos que sentem a atração gravitacional da Lua. Ela provoca também movimentos de atração e retração na porção sólida e gasosa do planeta, as chamadas marés de crosta e de atmosfera, bem mais sutis que as oceânicas. A crosta, por ser sólida, oferece uma resistência muito maior e qualquer movimento aqui é praticamente imperceptível”, explica o astrônomo. “Os gases, que compõem a atmosfera, por outro lado, tendem a ocupar todo o espaço que lhes é oferecido.”
Mas, pela experiência sabe-se que as fases da lua “mexem”, inclusive, com todo o organismo humano da gestação ao parto, do crescimento do cabelo à loucura, pois suas fases diferentes, afetam os nossos próprios sentimentos e emoções. Mesmo a gestação e os partos, parecem estar associados as fases da lua.
A Neomater, em São Bernardo do Campo, município da Grande São Paulo, é um exemplo disso. “Apesar de não termos nenhum relatório oficial, podemos notar que boa parte dos 400 partos que fazemos por mês está concentrada nos períodos de mudança de Lua”, comenta Walter Ramos, diretor clínico do hospital. Na Itália e outros países da Europa, muitas maternidades voltaram a observam o ciclo lunar para marcar os partos.
"Se a Lua mexe com os oceanos, mexe também com os líquidos do corpo humano" A. Lieber
A explicação mais comum para esses efeitos lunares são as chamadas marés biológicas. Criada pelo psiquiatra americano Arnold Lieber, autor do best seller: Como a Lua Afeta sua Vida, a teoria supõe que, "se a Lua mexe com os oceanos, provocando as marés, mexeria também com os líquidos que constituem cerca de 70% do organismo humano. Assim, se a Lua Cheia provoca marés mais violentas, deveria também provocar uma expansão no líquido amniótico, que envolve o embrião no útero, forçando a bolsa e precipitando o parto."
A lua cheia também seria responsável pelo aumento de agressividade, irritabilidade e excitação sexual. (há dados das delegacias de polícia de diversas partes do mundo) “Tudo isso é percebido de forma empírica, simbólica, já que não há comprovação científica”, diz o astrólogo Oscar Quiroga.
Embora nada tenha sido cientificamente provado a esse respeito,(a não ser o caso das marés, já citado acima) isso parece ter pouco efeito sobre a crença popular, pois o homem sabe que, o que “os antigos falavam e sabiam”, uma hora ou outra começa a ser comprovado pela ciência, pois a influência da Lua podem ser percebidas todos os dias.
Assim é que, mesmo que a ciência não explique exatamente, embora também não negue, os métodos de usar as fases da lua no di-a-dia, continuam sendo aplicados por muitos e, aparentemente, funcionam.


Fonte: http://magiadailha.blogspot.com/2011/02/existe-realmente-influencia-da-lua-em.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...