domingo, fevereiro 20, 2011

Sou muito Grata! :: Rubia A. Dantés ::

É incrível como somos experts em auto-sabotagem e em como nem percebemos que estamos nos sabotando...
Quantas vezes já podemos ter sofrido, ao longo das nossas vidas, e para tentar evitar a mesma aflição, evitamos passar de novo pela mesma situação... e com o tempo, criamos tantas barreiras para nos proteger... que, muitas vezes, nem sabemos mais do que estamos nos protegendo... e o que antes nos amparava, passa a nos prender... e a limitar qualquer possibilidade de sermos felizes naquela área específica.
Usando a imaginação, podemos entrever que em uma vida muito distante você foi plenamente feliz e que, por algum motivo, perdeu essa felicidade... seja no Amor... seja nos Dons... ou em qualquer outra área. Geralmente, guardamos registros, tanto de termos sido felizes, como de ter perdido essa felicidade e, às vezes, de forma muito dolorosa...
A dor é tanta que você faz um tipo de pacto com você mesmo... nunca mais vou me entregar plenamente ao Dom ou ao Amor, para não sofrer outra vez... e você passa o resto daquela existência evitando qualquer situação onde possa se envolver com alguém... ou onde sequer possa mostrar que tem um Dom...
E vai repetindo o mesmo padrão de evitar as coisas que possam levá-la a amar novamente... ou a manifestar seus Dons... ou seja lá o que for...
Somos muito criativos em auto-sabotagem e... temos tanto medo de sofrer de novo, que não queremos passar nem perto do que nos possa causar a dor...
E por medo de passar pela mesma dor... para evitá-la, acabamos criando mecanismos para esconder até do que mesmo estamos nos protegendo...
Só que... atraímos o que queremos evitar, porque de alguma forma colocamos o foco naquilo...
E assim hoje... muitas vidas após... você só atrai relacionamentos que não dão certo e, aparentemente, pensa que quer se relacionar com alguém, que está pronta para o Amor... mas só atrai a impossibilidade de viver o Amor. E se queixa dos parceiros e da vida...
Ou só encontra trabalhos que são unicamente para a sua sobrevivência e neles não experimenta nenhum tipo de prazer; muitas vezes precisa fazer um esforço enorme e aquele tempo empregado nas atividades é um sacrifício.
Você até acredita que está aberta para determinada coisa -ou para outra- e quer muito encontrar o seu Dom e um Amor... se for o caso.
Mas, as memórias trabalham em silêncio, atraindo justamente o contrário do que você quer... porque elas trazem consigo o registro do sofrimento que equivocadamente aparece ligado à situação, quando você foi plena e se entregou por inteiro...
E... continuando na fantasia... criamos cada vez mais memórias equivocadas que nos fazem inconscientemente crer que, para vivermos o Amor, os Dons, ou seja o que for que nos faça felizes, invariavelmente iremos passar pelo sofrimento que alguma vez já suportamos... e esse sofrimento pode ter sido tanto, que não vale a pena passar por isso de novo... e, desta forma, as memórias equivocadas trabalham exatamente contra o que você mais "pensa" que quer.
E pode ser que nessa vida que estamos imaginando... você até tenha encontrado o Amor e o Dom e ainda o sofrimento gerado pela perda de um dos dois... e poderá criar memórias equivocadas ligando o sofrimento às duas coisas... Assim como procede a nossa imaginação, que pode criar milhões de hipóteses... nossas memórias podem criar milhões de mecanismos para supostamente nos defendermos da dor...


Parte do texto retirado da Fonte: http://www.stum.com.br/conteudo/c.asp?id=10618

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...