sábado, maio 28, 2011

Coração confiante...


"Se você tem o coração que confia, nada é impossível —até mesmo Deus não é impossível.
Mas você precisa ter um coração confiante.
Uma mente confiante não adiantará, porque estruturalmente a mente não pode confiar. Ela é incapaz de confiar.
A mente só pode duvidar; a dúvida é natural para a mente, é intrínseca à mente.
A cabeça nada pode fazer a não ser duvidar. Assim, se você começar a forçar crenças à cabeça, essas crenças só esconderão suas dúvidas.
Nada acontecerá através delas.(...)
Para a mente, crer não é possível; a mente pode apenas duvidar. A dúvida cresce da mente como as folhas crescem das árvores.
A crença surge no coração.
O coração não pode duvidar, só pode confiar.(...)
A cabeça pode apenas criar falsidades, substitutos.
Você pode permanecer comprometido com elas, mas sua vida será desperdiçada. Você permanecerá uma terra árida, um deserto.
Você nunca florescerá, nunca saberá o que é um oásis.
Não conhecerá o menor contentamento, a menor celebração.
Assim, quando digo que crer pode tornar coisas impossíveis em possíveis, refiro-me a crer pelo coração — um coração inocente, o coração de uma criança que não sabe como dizer "não", que conhece apenas o sim — mas não o "sim" contra o "não".
Não que a criança diga "não" por dentro e "sim" por fora; isso é da cabeça.
Essa é a maneira da cabeça; sim por fora, não por dentro, não por fora, sim por dentro.
A cabeça é esquizofrênica. Nunca é total e una.
Quando o coração diz "sim" ele simplesmente diz "sim".
Não existe conflito, não existe divisão.
O coração está integrado com o seu sim; essa é a verdadeira crença, confiança.
É um fenômeno do coração.
Não é um pensamento, mas um sentimento, e, essencialmente, nem mesmo um sentimento, mas um estado de ser.
No início, a confiança é um sentimento; em seu florescimento final, é um estado de Ser."
Osho em Mojud: O Homem com a Vida Inexplicável

Alcançar a dimensão da confiança em nós, é o mesmo que apaziguar os conflitos, aquietar as expectativas, soltar as rédeas do controle, descansar a alma naquilo que É.
Vivemos tão intensamente de sonhos, de futuro, daquilo que será - que por ser distante do momento presente gera uma grande tensão - pelo simples fato de que não existe ainda...daí que todas as possibilidades ainda estão em aberto, todas as possíveis respostas ainda não foram de fato respondidas, e só nos resta esperar que aquilo que tiver que acontecer aconteça.
Nesse meio termo, ao que nos agarramos? Na mente.
Nos infindáveis pensamentos, analises, possibilidades imaginárias, possíveis problemas, possíveis soluções...a rede de pensamentos se multiplica...indefinidamente...
Nada se tem de verdade. Apenas pensamentos que passam na tela da consciência.
Mas o coração confia, sempre! Pois o coração é único, indivisível, absoluto. Manifesta a unicidade da consciência universal, está ancorado naquilo que É.
Enxerga além das aparências, sente além das ilusões, e conhece profundamente, muito além de qualquer contradição...
Centrados no coração, estamos ancorados na verdade, somos a própria verdade.
Não importa mais nada. O coração é o único que realmente conhece...ou melhor, o coração é o verdadeiro conhecimento...
Amor
Lilian


Fonte: http://ventosdepaz.blogspot.com/2011/05/coracao-confiante.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...