segunda-feira, julho 11, 2011

Sempre pensamos no amor sob a perspectiva do amor romântico. Todas as múiscas, poesias e textos a respeito do tema são sempre interpretadas como sendo a respeito de um amor que se dirige a alguém específico. Mas hoje, estive pensando que há certas definições que são infinamente mais amplas que o simples amor humano, sempre limitado e dirigido a algo fora de nós.
Hoje quero falar de um Amor Iincondicional, que simplesmente É e ponto final. Um amor que não depende de objeto externo porque é em si mesmo todos os objetos que possam existir. Um amor que nada pede em troca, que nada espera, que de nada precisa. Um amor que circula, que soma, que abranje. O Amor que faz nascer em nós o respeito pelo outro, a cumplicidade com os problemas alheios, a compreensão das limitações de quem está a nosso lado.
Um Amor que não tenta moldar o outro a sua vontade, mas que se adapta às vontades alheias. É o amor simples, que faz com que as crianças amem mesmo aqueles que lhes chamam a atenção com severidade, que acalenta em silêncio principalmente aqueles que não são capazes de ouvir.
Este é o Amor descrito por Paulo em Coríntios 13, por Camões em sua poesia sobre o tema e parafraseado tão brilhantemente por Renato Russo na música Monte Castelo. Senti vontade de escutar novamente essa música hoje e percebi como até então o meu entendimento dela era limitado. Esses autores falavam de um amor muito maior, um sentimento acima da língua dos homens e dos anjos, sem o qual nada somos.
Um Amor que conhece a Verdade; que dói, mas não se sente; um "não querer" maior que o "bem querer", um andar solitário entre a gente, um cuidar que se ganha em se perder. É um Amor que faz com que nos prendamos por vontade própria, pelo uso de nosso livre arbítrio; que nos leva a servir apenas e sempre e nos encaixa na definição de Jesus Cristo que já dizia: "O maior entre vós será vosso servo". Esse sentimento nos faz ir ter até com quem nos mata a lealdade, chegando a ser contrario a si mesmo.
Não...não se trata do amor romântico, que tão fortemente nos prende e subjulga, cuja dor sentimos fundo (e que o diga quem já sofreu por "amor").Trata-se daquilo que faz com que ofereçamos a outra face, que amemos nossos inimigos, que façamos ao outro o que desejamos que façam a nós mesmos. É simples, porém ainda difícil ser vivenciado por nós.
Mas há os que entederam esse amor e escreveram sobre ele. Estes estiveram, nem que por apenas alguns instantes, acordados enquanto todos dormiam. Ainda vemos as coisas em partes, enxergamos pedaços de nossa própria história, de nossa própria essência, mas um dia veremos "face a face", estaremos diante do que É e tudo estará claro. Perceberemos, finalmente, o ensinamento simples de que só o Amor conhece o que é verdade e que sem Ele nada somos.
Neste dia, poderemos amar sem sentir dor, amar sem esperar nada em troca, amar por descobrir a óbvia constatação de que todos somos um, que estamos no mesmo barco e que andamos por caminhos diferentes rumo a um destino comum: o amor incondiconal e a arte de sua aplicação neste mundo onde ainda se necessita de um objeto "perfeito" para ser amado.
Abaixo a letra da música em que Renato Russo parafraseia Camões e o apóstolo Paulo e o link para o vídeo no youtube. Que todos possam reescutar essa música e repensar essa letra sobre uma perspectiva mais ampla. A todos uma belíssima semana. Fiquem com Deus e com muito amor em seus corações!!!



"Ainda que eu falasse a língua dos homens
E falasse a língua dos anjos,
Sem Amor eu nada seria.
É só o Amor, é só o Amor que conhece o que é verdade.
O Amor é bom, não quer o mal, não sente inveja ou se envaidece.
O Amor é o fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.
É um não querer mais que bem querer;
É um solitário andar por entre a gente;
É um não contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder.
É estar-se preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É um ter com quem nos mata a lealdade.
Tão contrário a si é o mesmo Amor.
Estou acordado e todos dormem. todos dormem. todos dormem...
Agora vejo em parte,
Mas então veremos face a face.
É só o Amor, é só o Amor
Que conhece o que é verdade.
Ainda que eu falasse a língua dos homens
E falasse a língua dos anjos,
Sem Amor eu nada seria."

Monte Castelo - Legião Urbana - Link do vídeo no youtubehttp://www.youtube.com/watch?v=AKqLU7aMU7M&feature=related

Fonte: http://espiritualidadelivre.blogspot.com/2011/06/consideracoes-sobre-o-amor.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...