segunda-feira, maio 07, 2012

Poema


Todos os dias viverei da vida um tanto:
Mas não demais, antecipando o que não veio,
Nunca de menos, precipitando o desencanto.
Todos os dias serei inteira, plena, forte e iluminada,
E tudo quanto o que me torno,
Quando alinho minha alma aos contornos do Sagrado:
No amor, completa;
Na palavra, certeira;
No trabalho, agradecida;
No viver, simplificada
E no carinho, doce
Tecendo e refazendo laços.
Seja esta a força que me leve e que conduza meus abraços.
Companheira da Verdade, deixo sempre que ela fale,
Pois no silêncio não há nada que a oculte ou que a cale.
Todos os dias serei um pouco menos de mim, no fundo;
E sempre mais um tanto assim: comum, do mundo."

(desconheço autoria, recebido por email)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...